domingo, 15 de novembro de 2009

SIQUEIRA CAMPOS DÁ EXEMPLO DE INDÚSTRIALIZAÇÃO PARA O PARANÁ

Fábrica da Pro Tork em Siqueira Campos: maior da América Latina

Siqueira Campos - Encravada no centro do Norte Pioneiro do Paraná, Siqueira Campos tornou-
se uma ilha de prosperidade em meio a uma das regiões mais pobres do Paraná. A ferramenta usada para fazer da cidade de 20 mil habitantes um polo industrial em uma área com vocação agrícola foi um plano de desenvolvimento industrial colocado em prática há 20 anos.
Um dos membros daquele grupo que se reuniu em 1989 para discutir o desenvolvimento industrial da cidade, o atual prefeito Luiz Antônio Liechocki (PMDB) explica que na década de 1980 o município tinha apenas 11 mil habitantes porque estava perdendo a população rural. O êxodo transformou quase 2 mil propriedades rurais em 600, a maioria latifúndios. “De uma hora para outra nos tornamos uma cidade cercada por pastagens”, lembra.
O primeiro passo rumo à industrialização foi incentivar cerca de dez pequenas indústrias do município para que se transferissem para uma área adquirida pela prefeitura às margem da rodovia PR-090, conta o diretor do Departamento de Indústria e Comércio do município, Claudio Chomiski. A partir daí, vieram os incentivos, como isenção do pagamento de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto Sobre Serviços (ISS) e o IPTU, a doação de áreas bem localizadas, o financiamento de barracões industriais e o treinamento de mão de obra.
Em quatro anos o esforço começou a dar resultado. Com a chegada das indústrias de fora o que era deixado de arrecadar com a isenção de impostos na indústria começou a ser compensado pelo setor do comércio e serviços. “A população cresceu, a renda aumentou, as pessoas começaram a comprar mais e o município passou a ter uma arrecadação muito maior”, diz Chomiski.
De dez indústrias, hoje a cidade conta com 97 fábricas, a maioria dos setores de metal-mecânico e de confecções. São 6 mil empregos diretos e outros 3 mil indiretos. Com tantas indústrias o PIB de Siqueira Campos cresceu 12% em 2008, o dobro do desempenho do Paraná. A previsão é fechar 2009 com 15% de crescimento.
O desenvolvimento industrial de Siqueira Campos teve um divisor de águas com a chegada da Pro Tork. A indústria é a maior fabricante de peças e acessórios para motocicletas da América Latina, com quase 5 mil itens em seu catálogo. Antes instalada em Curitiba, quando fabricava, de forma artesanal, apenas escapamentos para motos, os diretores do grupo, que já eram de Siqueira Campos ficaram atraídos com as facilidades e se mudaram para Siqueira Campos em 1993. Hoje são duas plantas industriais que empregam 3,6 mil trabalhadores e de onde saem os produtos vendidos para todo o país, além de serem exportados para a América Latina, Europa e Ásia. FONTE: GAZETADO POVO 15/11/2009

0 comentários: