Notícias

ESTAMOS DE OLHO

domingo, 17 de agosto de 2014

Beto Richa lidera em pesquisa estadual do Instituto Veritá

A pesquisa do Instituto Veritá que havia sido impugnada pela Justiça depois de uma liminar conseguida pelo PPL foi liberada pela Justiça neste domingo (17). A sondagem com abrangência estadual sobre a disputa pelo governo do Estado aponta que o governador Beto Richa (PSDB) teria chances de vencer já no primeiro turno, caso a eleição fosse hoje e não fosse considerada a margem de erro de três pontos.

 Segundo levantamento do Instituto Veritá realizado em 45 municípios paranaenses, Richa teria hoje 50,4% dos votos válidos – excluídos os eleitores que disseram votar em branco ou anular, e os indecisos – contra 33,7% do senador e candidato do PMDB, Roberto Requião. Em seguida, aparece a senadora e candidata do PT, Gleisi Hoffmann, com 14,4%. Bem distante, aparece o candidato do PSOL, Bernardo Pilotto, com 0,7%. Os candidatos Túlio Bandeira (PTC), Ogier Buchi (PRP), Rodrigo Tomazzini (PSTU) e Geonísio Marinho (PRTB) teriam menos de 1% dos votos válidos. A margem de erro é de 2,05% para mais ou menos. Quando se somam os índices, os candidatos de oposição chegam a 49,7% dos votos válidos.

Richa, com 50,4%, teria portanto a chance de vencer no primeiro turno, mas o resultado ficaria dentro da margem de erro, em empate técnico com a soma dos demais concorrentes. Ainda em se levando em conta a consulta estimulada – quando o eleitor é apresentado a uma lista de candidatos, e considerando os votos brancos, nulos e indecisos, Richa teria 40,2% dos votos, contra 26,9% de Requião e 11,5% de Gleisi Hoffmann. O candidato Bernardo Pilotto foi escolhido por 0,5% dos entrevistados. Túlio Bandeira (PTC), Ogier Buchi (PRP), Rodrigo Tomazzini (PSTU) e Geonísio Marinho (PRTB) aparecem com menos de 1% dos votos. Brancos e nulos somam 10,2% e indecisos 10,0%.

 Na simulação de segundo turno entre Beto Richa e Roberto Requião, o instituto aponta vitória de Richa, com 58,1% do percentual válido, contra 41,9% de Requião. Se o candidato do PSDB disputasse o segundo turno contra Gleisi Hoffmann, o tucano venceria com 63,9% dos votos, contra 36,1% da petista. Na pesquisa espontânea para o primeiro turno, mais da metade (50,5%) dos entrevistados não saberiam em quem votar. Beto Richa teria 22,5%; Requião, 14,6%; e Gleisi, 5,2%. Os outros candidatos são citados por menos de 1% dos entrevistados. Avaliação – A maioria dos eleitores aprova como “governo do Paraná vem conduzindo o Estado”. Entre os entrevistados, 67.4% aprovam o governo e 30,4% desaprovam.

Não souberam ou não responderam somam 2,3%. Quando questionados sobre a “maneira como o governador vem conduzindo o Estado”, 36,0% dos eleitores com mais de 16 anos entrevistados acreditam que o governo é bom. Outros 28,3% estão entre os que assinalaram que o governo é regular positivo, 13,1% regular negativo, 9,1% péssimo, 8,2% ruim e 3,0% ótimo. Não sabem ou não responderam representam 2,3% do total. A pesquisa do Instituto Veritá, com sede em Uberlândia (MG), foi realizada entre os dias 05 e 09 de agosto de 2014. A coleta de dados foi feita por meio de formulários eletrônicos com a utilização de tablets e o custo da pesquisa com registro PR­ 0007/2014 é de R$ 93 mil. Foram checados, no mínimo, 20% dos questionários de cada pesquisador, por supervisores de campo ou, posteriormente, por telefone. Todo o material é verificado e codificado, segundo o Instituto.
Esta é segunda sondagem ampla, com entrevistados em todo o Estado, registrada no Tribunal Superior Eleitoral pelo instituto de Minas Gerais. A pesquisa foi publicada com exclusividade pelo jornal Bem Paraná.

 Álvaro lidera com folga para o Senado

 A mesma pesquisa colocou o candidato do PSDB ao Senado da República, Álvaro Dias, como vencedor das eleições deste ano com 57,2% dos votos. O candidato Ricardo Gomyde (PCdoB) teria 3,3% dos votos; Professor Piva (Pscol), 2%; e Marcelo Almeida (PMDB), 1,9%. Somados, os candidatos Adilson Silva (PRTB), Luiz Bárbara (PTC) e Evandro Castagna (PSTU) não têm 1% dos votos na sondagem. Indecisos somam 17,2%; brancos e nulos 16,7% dos votos. Entre os votos válidos – desconsiderando brancos, nulos e indecisos – Álvaro Dias teria 86,3 % dos votos, contra 4,9% de Gomyde, 3,0 de Piva, 2,8% de Marcelo Almeida e 1,3% de Mauri Viana. Adilson Silva, Bárbara e Castagna, juntos, não conseguiriam 1% dos votos, segundo Veritá. A margem de erro de 2,03% para mais ou menos coloca os candidatos Gomyde, Piva, Marcelo Almeida e Mauri Viana tecnicamente empatados.

Além disso, a soma dos eleitores indecisos com brancos e nulos chega a 34% dos votos entre os entrevistados, ou seja, 782 dos 2302 não sabem ou não querem votar nos candidatos apresentados. A soma de todos dos votos de todos os outros candidatos, brancos, nulos e indecisos, não chega a 45% entre os entrevistados. O líder isolado na pesquisa senador Álvaro Dias está no terceiro mandato no Senado e a pesquisa indica a quarta eleição. O candidato que aparece em segundo lugar, Ricardo Gomyde, é ex-secretário de futebol do Ministério dos Esportes. Ele ocupou o cargo durante a Copa do Mundo. Antes disso, foi presidente do Paraná Esporte, que equivaleria à secretaria do Esporte, no governo Requião. Também foi deputado federal entre 1995 e 1999.

 O candidato Professor Piva ficou mais conhecido depois do debate na TV Band, nas eleições de 2010, quando ele concorria ao Senado e defendia a extinção do Congresso Nacional. Já o candidato Marcelo Almeida (PMDB) tem a campanha mais cara declarada até agora entre os oito. O gasto de Almeida pode chegar a R$ 30 milhões. Ele teve a candidatura questionada por adversários, inclusive dentro do partido, por ser herdeiro da empreiteira CR Almeida, sócia de duas concessões de empresas de pedágio no Paraná. O peemedebista é o político mais rico das eleições deste ano, segundo as declarações à Justiça Eleitoral. O suplente de deputado federal possui R$ 740,4 milhões em bens registrados em seu nome.

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial