Notícias

ESTAMOS DE OLHO

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Maioria dos deputados que retirou nome do requerimento da CPI do MST é do PR

Deputados que retiraram as assinaturas do requerimento de criação da CPI do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) no Congresso admitiram nesta quinta-feira que foram pressionados por líderes governistas a recuar no apoio à comissão.
Na operação deflagrada nos bastidores para tentar impedir a criação da CPI, os governistas conseguiram convencer 19 deputados da base aliada a retirarem as assinaturas, mas o número não foi suficiente para impedir que a comissão fosse criada.

O deputado Luciano Castro (PR-RR), um dos parlamentares que retirou a assinatura, reconheceu que foi pressionado por governistas para recuar no apoio à comissão.
"Houve um apelo do governo para que parlamentares da base retirassem as assinaturas porque a CPI não contribuiria para as investigações. Eu tenho posição contrária à invasão promovida pelo MST no interior de São Paulo, tinha resolvido assinar. Mas houve o apelo do governo", afirmou.
Os parlamentares que recuaram no apoio à comissão, porém, negam que tenham sido ameaçados por governistas a retirarem assinaturas sob pena de não receberem emendas ao Orçamento da União. "Nem se falou nisso, não se tocou nesse assunto", disse Castro.
Dos 19 deputados que voltaram atrás no apoio à CPI, a maioria é do PR. Sete deputados da legenda recuaram na adesão à comissão, seguidos por cinco do PP e outros do PT do B, PMDB, PTB e PDT. O deputado Geraldo Thadeu (PPS-MG) foi o único integrante de um partido que faz oposição ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a retirar sua assinatura.
A oposição apresentou, inicialmente, 182 assinaturas de deputados favoráveis à CPI do MST. Enquanto os governistas convenceram 19 deputados a voltarem atrás, a oposição conseguiu mais 47 assinaturas -o que resultou no total de 210 deputados favoráveis à CPI. Para que a comissão fosse criada, eram necessárias assinaturas de pelo menos 171 deputados.
No Senado, onde não houve ofensiva do governo contra a CPI, a oposição conseguiu o apoio de 36 senadores à comissão --nove a mais que o mínimo necessário para a criação da comissão mista (com deputados e senadores).
Veja abaixo a lista dos deputados que retiraram assinaturas da CPI do MST:

Aelton Freitas (PR-MG)
Antonio Cruz (PP-MS)
Charles Lucena (PTB-PE)
Dr. Nechar (PP-SP)
Eduardo da Fonte (PP-PE)
Fernando Chiarelli (PDT-SP)
Francisco Rossi (PMDB-SP)
Geraldo Thadeu (PPS-MG)
João Carlos Bacelar (PR-BA)
João Magalhães (PMDB-MG)
Jurandil Juarez (PMDB-AP)
Leo Alcântara (PR-CE)
Luciano Castro (PR-RR)
Marcelo Teixeira (PR-CE)

Marcio Reinaldo Moreira (PP-MG)
Tonha Magalhães (PR-BA)
Vilson Covatti (PP-RS)
Vinícius Carvalho (PT do B-RJ)
Wellington Roberto (PR-PB)

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial